Publicações Ody & Keller Advocacia e Assessoria Empresarial
Asset 4.png
  • Ody&Keller

A balança comercial e o efeito no PIB de 2013

Para cálculo do PIB se utiliza, normalmente, o “método do dispêndio”. Assim, se encontra o valor de todos os produtos que geraram riqueza. Esse método de cálculo segue a fórmula: PIB = C (total do consumo) + I (total dos investimentos) + G (total dos gastos do governo) + Balança Comercial ( Exportações – Importações).

Conhecendo a fórmula acima, se pode entender a importância de cada um dos seus elementos. Quanto maior o consumo das famílias “C”, maior será o PIB. Da mesma forma, quanto mais o Governo gasta “G” maior será o PIB. Também quanto maior for o Investimento “I “ maior será o PIB.

O último item dessa fórmula é a chamada “balança comercial”, que é o total das exportações (que geram dinheiro dentro do país, ao exportador) diminuído do valor total das importações (que “tiram” o dinheiro do país e o transferem para o exterior). Assim, se o país exporta mais do que importa, o PIB será maior. Mas se o país exportar menos do que importar, o PIB irá diminuir. Por isso a importância de exportar mais do que importar.

Em 2012 essa “conta matemática” chegou a 0,9% positivo. Diz-se, então, que o PIB de 2012 “cresceu” apenas 0,9%.

Para 2013, se quisermos acompanhar o resultado das projeções do desempenho da economia, precisamos prestar a atenção nesses itens que compõem a “conta matemática” do PIB. E de todos esses itens comentados, um chamou muito a atenção nesse mês de abril: a balança comercial.

Infelizmente, o resultado da balança comercial, segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio –  MDIC, foi o pior para um mês de abril desde 1959! Além disso, o resultado final da balança comercial do primeiro quadrimestre (janeiro a abril) foi o pior da série histórica, ficando negativo em 6,15 bilhões de dólares.

Portanto, passados já quatro meses, e estando a balança comercial puxando tanto assim o PIB para baixo, será necessário que os outros itens da “fórmula matemática” compensem, e muito, esse quadro negativo. Caso contrário, a economia, ao que parece, prosseguirá estagnada em 2013.

Fonte: Economia – “o outro lado da moeda” – Acessado em 10/05/2013 – http://goo.gl/mokdt

0 visualização

Publicações